21 de março de 2013

SÓ NO MUNDO

Estou só no mundo desde ontem. Morreste-me no momento em que decidiste viver no longe. Ontem, o sol escondeu-se. Como se um míssil tivesse explodido e destruído o indestrutível. 
Que vento perverso se intrometeu entre nós e rompeu o nó? Que espero eu, neste sítio onde nos vimos e conhecemos e prometemos e decidimos e…? 
O universo ficou oco. Deserto. Eu no meio. Só. Fugi. Fechei o meu mundo e levei um enorme inverno nos olhos plúmbeos.

desafio nº37 da Margarida Fonseca Santos: escrever sem a letra A.
Enviar um comentário