17 de abril de 2016

SOMOS NADA!!!

Não entendo como alguém se pode retirar da vida! 
Talvez porque sou feliz, disseram-me!
Quem é feliz quer viver, quer prolongar cada instante mesmo que tenha de travar lutas diárias. 
Hoje, do alto do meu quinto andar, depois de ter ouvido um estrondo no exterior, vi uma mulher estendida na linha do comboio.
Acabou de fumar um cigarro, esperou que o comboio se aproximasse e entregou-se-lhe. Literalmente abalroada, ali ficou estendida, horas, sozinha, debaixo de chuva, amortalhada, até que as autoridades se dignassem levá-la para terminar, com alguma dignidade, tão triste episódio. 
Não sei quem é. Não sei o que pensou no momento (se pensou!). Não sei o que a levou a fazer tal ato de desespero frente a testemunhas. Só sei que somos mesmo “bichos da terra tão pequenos”, como o escreveu Luís de Camões. Frágeis. Indefesos. Impotentes. Somos nada.
Enviar um comentário