2 de dezembro de 2014

O ESPETRO DA GUERRA

ilustração de Sonja Donowski (in, O princípio de Paula Carballeira)

O sol veio e beijou a terra. Ambos se primaveraram naquele encontro que prenunciava futuro. Não fora o espetro da guerra. 
Vozes roucas já a tinham vaticinado. Os primeiros homens partiram armados. Os primeiros tiros berraram com altivez. Os primeiros edifícios tombaram. Os primeiros soldados caíram vencidos. 
A última carta chegou e provocou-lhe inquietações no peito. A mensagem trouxe fim e chuva de lágrimas. Remendo algum consertaria o seu coração. 
Foram quase felizes, num sempre muito pequeno.

Desafio nº79 da Margarida Fonseca Santos: 
acabar a história com a frase "Foram quase felizes, num sempre muito pequeno"

Enviar um comentário