12 de janeiro de 2014

O NOSSO POEMA


A natureza é sábia, os médicos também. Quando já não te esperava, quando pensava que o meu corpo seria estéril, aconteceu. 
Bendita carta, aberta com a maior das ansiedades, anunciadora da boa-nova. Grávida. 
Hoje, tu és o nosso poema. A canção cantada a dois. O soneto de métrica e rima perfeitas. As palavras apuradas, lavradas. O ritmo que nos agita a vida. A emoção que nos derrete. Tu. Nós. Laços apertados.
Foi há vinte e dois anos.

(Desafio Rádio Sim, nº9, pela Margarida Fonseca Santos)
Enviar um comentário