16 de janeiro de 2015

E SE EU PUDESSE CRIAR UM 13º MÊS?!!

O Clube de Leitores tem o condão de me fazer escrever (por vezes saem disparates!). Lança desafios aos quais não resisto.
Desta vez: que mês criaria se fosse possível um 13º?
A resposta:
Mais um mês? Essa é que é essa! Chamar-se-ia veraneio, viria depois de agosto. Agosto, mês de férias, é uma canseira! Fazer malas, desfazer malas, fazer lanches, partir para a praia, limpar lancheiras, sacudir areia, tropeçar nos pés dos banhistas, ouvir arautos a apregoar olh’á bolinha, olh’ó gelado, esperar horas intermináveis nos aeroportos, gastar horas nos aviões, comer quilómetros sentados num carro, praguejar enquanto se busca um buraquinho onde o deixar, gastar a paciência nas filas dos museus, sofrer à espera de uma mesita nos cafés e restaurantes, andar de um lado para o outro, romper solas, cansar pés. Uf! Não há tempo para relaxar! 
Pior! Entra setembro e, cansados, mesmo antes de terem lavado a roupa suja das férias, todos regressam ao trabalho a precisar de férias! Trabalhar cansados não é produtivo, convenhamos! 
Ora aí está! Antes de setembro, depois de agosto, com todo o gosto, viria veraneio. É preciso um mês para parar. Para apreciar. Para olhar e ver. Para sentir. Para respirar. Para meditar. Para conversar. Para ler devagar. 
Neste mês, todos os dias seriam domingo. E todos teriam sol. E todas as pessoas teriam de fazer um ritual: rir, gargalhar. E celebrar a vida!
Enviar um comentário